• 21:27 18 de Dezembro de 2018   |   seu IP 54.172.40.93
  • Acessar sistema

    Mundo chama atenção para as áreas úmidas

    Para comemorar o Dia Mundial das Áreas Úmidas (World Wetlands Day), 2 de fevereiro, a Estância Ecológica Sesc Pantanal e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas Úmidas (INAU), com apoio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), realizam uma programação especial.

    Com o tema Áreas Úmidas para Redução de Riscos e Desastres, escolhido pelo Secretariado da Convenção de Ramsar para nortear os debates em 2017, o evento acontece na quinta-feira (02/02), a partir de 7 horas, no Centro de Interpretação Ambiental (CIA), do Hotel Sesc Porto Cercado, em Poconé (MT).

    A programação com palestras, mesas-redondas, oficinas e trilhas no Parque Sesc Baía das Pedras terá a participação do analista ambiental Maurício Pompeu, do Ministério do Meio Ambiente, que fala sobre Convenção de Ramsar e o Dia Mundial, às 11h30.

    “Vamos abordar a Convenção como um todo e os três pilares sobre os quais está baseada: A Lista dos Sítios Ramsar; cooperação internacional e o uso racional das áreas úmidas”, adianta.

    Pompeu fará ainda um panorama da lista brasileira, que já consta de 13 unidades de conservação designadas como Áreas Úmidas de Interesse Internacional. O Brasil, atualmente, pleiteia ampliar o reconhecimento para outras áreas do país.

    Imersão - “Vamos debater os temas mais representativos que envolvem a realidade local do Sítio Ramsar, esclarecendo para a população local (moradores e gestores públicos, principalmente) a importância das áreas úmidas e das inciativas de conservação delas”, explica a gerente de Pesquisa e Meio Ambiente do Sesc Pantanal, Cristina Cuiabália Neves.

    Segundo ela, também serão realizadas atividades práticas com imersão nas paisagens pantaneiras, proporcionando o contato direto por meio de passeio de barco, trilhas a pé e de bicicleta na mata e passeio a cavalo em áreas inundadas. “O objetivo maior, portanto, é despertar a reflexão sobre a urgência de reconhecimento e proteção para as áreas úmidas, sensibilizando os convidados a partir do conhecimento, do diálogo e da experiência”, diz.

    Implementação - O Ministério do Meio Ambiente busca uma estratégia para fortalecer a implementação dos Sítios Ramsar já reconhecidos. De acordo com Pompeu, será feito um estudo nesse sentido, voltado também à participação dos diversos setores e atores com interesse no tema.

    Também está previsto para este ano, a realização do Inventário Nacional das Áreas Úmidas brasileiras. “Queremos saber como uma unidade de conservação pode agregar valor aos serviços ambientais prestados ao ser reconhecida como de importância internacional”.

    Outro objetivo do governo brasileiro é disseminar informações sobre a Convenção e a Lista de Ramsar. “Há uma carência no conhecimento deste acordo e seus objetivos. Queremos aumentar a divulgação e o envolvimento de pessoas e instituições em torno dele”, avalia.

    Guia - Um Guia para o Dia Mundial das Áreas Úmidas foi publicado em formato digital, voltado a parceiros, organizadores de eventos e educadores que queiram aproveitar a data para chamar a atenção para o papel das áreas úmidas na redução do impacto de eventos climáticos extremos como secas, enchentes e ciclones.

    De acordo com o material, as áreas úmidas agem como uma esponja natural que absorvem e armazenam excessos de chuva e reduzem as enchentes. Durante a seca, elas liberam a água armazenada, atrasando o início das secas e diminuindo a falta de água.

    Fotografia - Para mobilizar o público jovem, o Concurso de Fotos para Juventude sobre Áreas Úmidas, convida pessoas entre 18 e 25 anos, de todo o mundo, a tirar fotos, em formato digital, de qualquer tipo de área úmida que ajude a lidar com eventos climáticos extremos.

    As inscrições começam no dia 2 de fevereiro e vão até à meia-noite do dia 2 de março, no horário suíço (+3h em relação a Brasília). Podem ser enviadas até três imagens neste endereço eletrônico, onde o regulamento completo está disponível.

    O prêmio será uma viagem para uma Área Úmida – um Sítio Ramsar. Para outras informações: cnzu@mma.gov.br.

    Dia mundial – A data foi definida pelo Comitê Permanente da Convenção de Ramsar em homenagem ao dia da adoção da Convenção: 2 de fevereiro de 1971, na cidade iraniana de Ramsar.

    É um tratado intergovernamental criado no intuito de proteger os habitats aquáticos importantes para a conservação de aves migratórias e que passou a abranger as demais áreas úmidas para promover sua conservação, uso sustentável e o bem-estar das populações humanas que delas dependem.

    Ramsar estabelece marcos para ações nacionais e para a cooperação entre países. As ações estão fundamentadas no reconhecimento, pelos países signatários da Convenção, da importância ecológica e do valor social, econômico, cultural, científico e recreativo de tais áreas.

    (Fonte: MMA)

     
    Proibição à pesca de espécies nativas inicia em 1º de novembro no Paraná
    01/11- Proibição vai até 28 de fevereiro do próximo ano e tem como objetivo proteger a reprodução natural de espécies de peixes no Paraná.
    Analista ambiental do CORIPA ministra palestra no município de Altônia
    26/10- A palestra foi sobre a conservação da biodiversidade, o histórico de conservação do rio Paraná, sobre o CORIPA, sobre o Parque Nacional de Ilha Grande e a APA.
    Analista ambiental do Consórcio realiza atividades no CMEI Zaíra Tiliacki Ornelas em São Jorge
    24/10- O tema trabalhado durante as atividades foi o Rio Paraná e o Parque Nacional de Ilha Grande (PNIG).
    Municípios Consorciados
    Mapa do site
    Website desenvolvido por